CORPO E JUVENTUDE: O BAIRRO TAMARINDO EM SOBRAL-CE E O TERRITÓRIO DA VIOLÊNCIA

  • Nilson Almino de Freitas Professor da área de Antropologia da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA/Sobral-CE Coordenador do Laboratório das Memórias e das Práticas Cotidianas - LABOME Coordenador do Programa de extensão Visualidades Professor do Mestrado Acadêmico em Geografia da UVA - MAG Pesquisador Associado do Pós-doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Clarisse Mendes de Sousa

Resumo

O artigo acompanha algumas narrativas de moradores do bairro periférico, conhecido como Tamarindo, na cidade de Sobral. Estes moradores são parentes consanguíneos, ascendentes de jovens envolvidos com grupos em conflitos com a lei, assim como em disputa de território com grupos rivais. As fontes orais falam do modelo de ocupação territorial no bairro Tamarindo por parte de jovens do local e de regiões vizinhas. As reflexões pensam sobre o território, identidade e conflitos. Os discursos registrados de seus familiares falam de corpos jovens como construção identitária produzida e reproduzida no interior de espacialidades, entendidas como opostas no bairro. Estes familiares são moradores que vivem estas experiências, de forma indireta e que são muito afetados por serem avós, pais e mães destes jovens em conflito.

Biografia do Autor

Nilson Almino de Freitas, Professor da área de Antropologia da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA/Sobral-CE Coordenador do Laboratório das Memórias e das Práticas Cotidianas - LABOME Coordenador do Programa de extensão Visualidades Professor do Mestrado Acadêmico em Geografia da UVA - MAG Pesquisador Associado do Pós-doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Professor da área de Antropologia da Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA/Sobral-CECoordenador do Laboratório das Memórias e das Práticas Cotidianas - LABOMECoordenador do Programa de extensão VisualidadesProfessor do Mestrado Acadêmico em Geografia da UVA - MAGPesquisador Associado do Pós-doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

ARANTES, Antonio A. Paisagens Paulistanas: transformações do espaço público. Campinas, SP: Editora UNICAMP. São paulo: Imprensa Oficial, 2000.

BENJAMIM, Walter. Magia e técnica, arte e política. 7.ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. in.: AMADO, Janaína & FERREIRA, Marieta de Morais (org.). Usos & Abusos da história oral. 3ed., Rio de Janeiro, Editora FGV, 2000.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano: 1. Artes de Fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.
DAYREL, Juarez. A escola faz as juventudes. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2228100 pdf acesso em 19 de junho de 2014, 2014.

DELEUZE, Gilles. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. v. 4. São Paulo: ed. 34, 1997.

DUARTE, Luis Adriano. Os sentidos da comunidade: notas para um estudo sobre bairros operários e identidade cultural. Revista de história UFC, Fortaleza, v.1, nº 2, 2002.

FRANCO, Maria Silva de Carvalho. Homens Livres na Ordem Escravocrata. 4.ed. São Paulo. Fundação Editora da Unesp, 1997.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. 20.ed. Petrópolis, editora vozes, 1999.

MACHADO, Carla. Pânico moral: para uma revisão do conceito. Interacções, n. 7, p. 60-80, 2004.

PAES, José Machado. Culturas Juvenis. 2ed., Lisboa: INCM, 2003.

PICOLLO, Fernanda Dervalhas. Particularidades e generalizações: reflexões a partir de uma pesquisa urbana entre usuários de drogas em Porto Alegre. In: Pesquisas urbanas: desafios do trabalho antropológico. Rio de Janeiro, Zahar, 2003.

PORTELLI, Alessandro. História oral e poder. Revista Mnemosine.Vol.6, nº2, p. 2 -13, 2010.
SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1994.

SIMMEL, G. Questões fundamentais da Sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In.: VELHO, Otávio Guilherme (org.). O fenômeno urbano. 3ed., Rio de Janeiro: Zahar Editores, pg.11-25, 1971.

SOARES, Luiz E. Juventude e violência no Brasil contemporâneo. In: NOVAES, R.; VANNUCHI, P. (Org.). Juventude e sociedade: trabalho, educação, cultura e participação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004. p.130-159, 2004.

TURNER, Victor. O processo ritual. Petrópolis: Vozes, 1971.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história e Foucault revoluciona a história. Brasília: UNB, 1998.

WYLLYS, Jean. Formas de temer, formas de reprimir: as relações entre a violência policial e suas representações nas mídias. In: KUCINSKI, Bernardo (et. al.). Bala perdida: a violência policial no Brasil e os desafios para sua superação. 1. ed., São Paulo: Boitempo, 2015.

Sobral recebe segunda Estação da Juventude hoje. Disponível em acesso em 09-10- 2014 http://blog.sobral.ce.gov.br/2014/03/sobral-recebe-segunda-estacao-da.html acesso em 09-10- 2014.

Em Sobral-CE, a bruxa anda solta. http://estadoviolento.blogspot.com.br/2014/01/em-sobral-cea-bruxa-anda-soltadeitaram.html , acesso em 09-10-2014.
http://estadoviolento.blogspot.com.br/2014/01/em-sobral-cea-bruxa-anda-soltadeitaram.html.
Publicado
2020-02-12
Como Citar
Freitas, N. A. de, & Mendes de Sousa, C. (2020). CORPO E JUVENTUDE: O BAIRRO TAMARINDO EM SOBRAL-CE E O TERRITÓRIO DA VIOLÊNCIA. Revista Homem, Espaço E Tempo, 13(2). Recuperado de //rhet.uvanet.br/index.php/rhet/article/view/350